domingo, 10 de outubro de 2010

ÉRCIO ROCHA

Como já cansei de dizer anteriormente – ou por outra, já disse várias vezes e não vou me cansar de dizer – que foi através da pesquisa do sr. José Eduardo Cimó em seu Fã Zine -Heróis Nacionais (lançado em 1994) que meu espírito se entusiasmou e me levou a estudar mais seriamente sobre os personagens brasileiros das Histórias-em-Quadrinhos. E, dentre os muitos deles presentes no antológico e inesquecível Fã Zine, tive a felicidade de me deparar com alguns, em bancas de usados ou através de outros colecionadores. É o caso do fanzine Ércio Rocha, apresentando personagens dos Quadrinhos criados por Giorgio Cappelli em meados da década de 60 do século passado. Já os fanzines foram lançados muitos anos depois, entre 1992/93, sendo que, anteriormente (entre 1989/90), foram publicados no extinto jornal paulistano Notícias Populares – Ércio Rocha é narrado em tiras, eis como foi produzido. Caíram em minhas mãos os números 4 e 5 deste fanzine, com 32 e 36 páginas respectivamente, editados no formato retangular vertical (que hoje chamaríamos de widescreen). E, como estamos falando de fanzine, há editorial, sessão de cartas (com a participação de outros ilustres fanzineiros, como o saudoso Oscar Kern de Historieta e também Edgard Gumarães, este ainda cheio de vida e energia, lançando regularmente o centenário Quadrinhos Independentes) e artigos sobre HQs (como por exemplo o oportuno artigo sobre o personagem Raffles, de Carlos Thiré – o mesmo autor de Os Três Legionários De Sorte, memorável criação do passado).




Passaram pelas páginas do fanzine Ércio Rocha alguns notáveis personagens da HQ brasileira, todos criados por Cappelli, como por exemplo Minuano, o herói dos pampas gaúchos que, com suas bombachas, seu lenço, suas botas & esporas, além é claro de sua indefectível boleadeira, está sempre disposto a espalhar a justiça na região sul do país, tal qual o vento homônimo que por lá sopra. Na aventura publicada no 4º. fascículo de Ércio Rocha, o Minuano enfrenta os capangas folgados de um rico estancieiro, e para isso conta com a ajuda de uma jovem, linda e valente gauchinha, tão destemida que mete o pezinho dengoso, com força, no meio das pernas dos machões. E ainda pergunta ao bandidão: “gostas de coices nos bagos?”. Vindo de ti, guria, não deve ser tão mau...





Jose é a personagem convidada do 5º. fascículo, vivendo aventura doidona sobre discos voadores e feminismo sensual (tudo é possível!). Bom humor retro-futurista e, ousado para a época, com um leve toque de lesbianismo. Quadrinho brazuca pré-vanguarda européia. Se Guido Crepax leu isso, deve ter babado de inveja.



E o personagem que dá título ao fanzine é um jovem da Força Aérea Brasileira vivendo aventuras no pantanal matogrossense, em narrativas cheias de ação e movimento tais como as HQs que inspiraram o autor – Capelli é nascido em 1926, o que quer dizer que cresceu lendo os maiores clássicos da Era de Ouro, e não por acaso Ércio Rocha tem o pique, a energia e o entusiasmo de Tim Tyler’s Lucky, Johnny Hazzard, Scorchy Smith e outros heróis memoráveis das comic strips! Os fascículos 4 e 5 apresentam a história chamada “Bento Lobato”, quando Ércio Rocha e seus companheiros precisam deter um bando de vigaristas estrangeiros que praticavam pesca predatória na região. Os bandidos acabam por seqüestrar o pai de Ércio (o Bento Lobato do título) e para resgatá-lo o jovem da F.A.B. poderá contar com a ajuda de um espertíssimo e mui corajoso gaúcho. Este, a propósito, é um dos muitos personagens interessantes desta brilhante HQ, onde destaco também a presença de Gurupi, um índio imenso e de força incrível, sempre disposto a ajudar Ércio. E o grande destaque, o traço de Cappelli, riquíssimo em detalhes e paisagens.


6 comentários:

  1. Prezado Salles,
    Puxa! que emoção ver este Fanzine do Ercio Rocha, que cheguei a ter os 5 números que pedi ao Giorgio Capelli, e que infelismente acabaram se perdendo no tempo.
    Gostaria de saber se você tem alguma idéia a respeito do autor, por onde andará o Giogio Capelli.
    Realmente eu que acompanhei todo esse pessoal fanzineiro das décadas de 80 e 90 Barwinkel, Jern (já falecido) Anibal Cassal, José Cimó, sinto saudades e infelismente não tenho mais notícias, como será que eles estão?
    Grande abraço, OBRIGADO, por essa lembrança nostálgica do Ércio Rocha e se souber notícias desse pessoal de um alô.
    Roberto Sabino

    blog: www.fantasmabrasil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Prezado colega Sabino, eu é que fico contente com seu comentário. Infelizmente não tenho notícias de Capelli, infelizmente perdemos Kerne e Barwinkell, Cassal e José Cimó, que eu saiba, ainda estão entre nós (infelizmente também perdi contato com este último). É isso, um grande abraço e apareça sempre que puder/quiser!

    ResponderExcluir
  3. Prezado José,
    Muito obrigado pela resposta, é uma pena essas perdas porque esses nossos queridos amigos foram grandes colecionadores, e como fanzineiros, divulgaram muitos sobre as antigas publicações do tempo em que os quadrinhos só tinham como concorrentes as sessões de Matiné no domingo e mesmo assim servia para se fazer as grandes trocas de revistas, Oh saudade desta época tão gostosa.
    Hoje temos toda a tecnologia a Internet, mas as crianças não são felizes como éramos, apesar da simplicidade e da pobreza em que vivíamos.
    Grande abraço meu amigo, e continue este trabalho tão bonito que você desenvolve no seu blog e se puder faça uma visita ao blog "Fantasma Brasil" e deixe lá um comentário.
    Sabino

    ResponderExcluir
  4. Assino embaixo tudo que disse caro Sabino. Felizmente ainda vivenciei a última fase dos gibis populares (quando eram vendidos aos milhões), por isso me identifico mais com gibizeiros de 60, 70, 80 anos de idade, do que com os jovens que só conhecem marvel/dc e mangá. E o Fantasma sem dúvida é personagem da era de ouro dos Quadrinhos...

    ResponderExcluir
  5. Prezado Sabino, aqui quem te escreve é quem sabe a Fênix, pois lendo todo este documentário sobre os Quadrinhos Nacionais, fez-me avivar as cinzas dos bons tempos dos FÃ-ZINE, agora ficou mais fácil de fazê-los, com a Internet e os computadores a qualidade também melhorou. Então estava pensando em refazer alguns fanzines, pois ainda tenho as revistas originais, e no computador posso fazer colorido e conseguir melhorar também as informações e atualizá-los.
    Bom... até agora não me identifiquei, sou o José Eduardo Cimó e ainda estou na Rua Joaquim Galvão de França 141 - Assis- SP Cep- 19800-170.
    Se quiser entrar em contato,meu e-mail é: jcimo@uol.com.br
    Sem mais um Fraternal Abraço.

    Cimó

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Meu nome é Giorgio Onorato Cappelli, e vim informar-lhes que meu pai, Giorgio Cappelli, já faleceu há muito tempo, no dia 30 de janeiro de 1994 - Dia do Quadrinho Nacional.
    Agradeço essa linda homenagem que fizeram a ele.
    Abraços a todos!

    ResponderExcluir